Plástica gengival – quando é indicada?

Plástica gengival – quando é indicada?

Hoje em dia, muito tem se falado em tratamentos estéticos para transformar o sorriso e deixá-lo mais harmonioso com o restante do rosto. Em muitos casos, a ideia é melhorar a relação entre os dentes e a gengiva, para que elas não apareçam mais do que o necessário.

A plástica gengival é um método que tem sido bastante utilizado e é indicado para corrigir diversos tipos de desalinhamento nas gengivas. Para entender melhor o procedimento e saber quem deve fazê-lo, continue acompanhando.

O que é plástica gengival?

O objetivo desta cirurgia é melhorar a posição, o formato e a quantidade de gengiva em um paciente, com a finalidade de aperfeiçoar sua estética de acordo com a melhor harmonia com os dentes.

Existe mais de um método utilizado para a realização da plástica, que pode ser de reconstrução, recobrimento de raízes ou aumento de espessamento, em casos de gengivas muito finas. Geralmente, o mais comum é o deslocamento da gengiva, para o lado, para cima ou para baixo, de acordo com o objetivo.

Quem deve fazer?

A plástica gengival tem mais de uma indicação, podendo ser feita para corrigir desalinhamentos, como sorriso gengival alto e hiperplasia (crescimento excessivo da gengiva).  Nesses casos, o procedimento é mais de cunho estético, quando o mal posicionamento das gengivas deixam a harmonia do sorriso comprometida.

O tratamento também é indicado para recobrir recessões e retrações da gengiva, que deixam as raízes dos dentes expostas. Nesses pacientes, as gengivas podem apresentar espessura fina e delicada, com uma transparência que evidencia a raiz do dente. A questão aqui não é somente estética, pois o quadro de retração gengival pode se agravar.

Quais os riscos de não tratar?

Em muitos casos, as retrações gengivais fazem com que as raízes dentárias fiquem demasiadamente expostas. A consequência disso são dores e aumento na sensibilidade aos alimentos ácidos ou gelados.

Além disso, a retração pode resultar em aumento na retenção de placa bacteriana, que pode ocasionar doenças como periodontite e gengivite. Por fim, mas não menos importante, há ainda o incômodo estético provocado pelas retrações.

Quais são os tratamentos?

Os procedimentos mais simples de plástica gengival são rápidos, podendo durar apenas 30 minutos, porém, alguns são mais elaborados e podem durar duas horas ou mais. O paciente recebe anestesia local e, por isso, não sente desconforto ou incômododurante a cirurgia.

No caso de pessoas que precisam corrigir defeitos estéticos e funcionais, que é o caso das retrações gengivais, pode ser necessário o uso de enxertos, que são coletados do próprio paciente. Geralmente, a coleta de enxertos é feita no palato — mais conhecido como céu da boca — ou nas regiões posteriores aos segundos molares em pacientes que já retiraram os sisos.

A plástica gengival com enxerto é muito previsível, mas  o pós-cirúrgico é mais delicado. É o tipo mais comum da cirurgia, mais do que as feitas para correção de desalinhamentos.

Como é o pós-operatório?

Mesmo nos casos de cirurgia mais simples, é preciso que o paciente siga recomendações do profissional responsável pelo procedimento e tome alguns cuidados, já que a gengiva envolve camadas de tecido.

Consumo de bebidas alcoólicas, exposição ao sol e esforço físico devem ser evitados, assim como alimentos sólidos. É recomendada uma alimentação fria e pastosa, além de uma higiene bucal correta, com os produtos prescritos pelo cirurgião-dentista.

Ficou mais fácil entender o que é a plástica gengival e quando ela é recomendada? Independentemente da necessidade, vale dizer que o resultado é um sorriso muito mais bonito e harmonioso. Caso você perceba a necessidade do tratamento ou deseje uma avaliação, entre em contato conosco. Será um prazer te atender!