Odontologia

Os benefícios dos alimentos para a saúde bucal

Saiba como a alimentação pode beneficiar a saúde bucal

31 de março é dedicado ao Dia da Saúde e Nutrição. A data foi criada para incentivar os brasileiros a terem uma alimentação saudável e consequentemente uma vida com mais saúde. Você já ouviu falar que “a saúde começa pela boca”? Uma alimentação saudável contribui para o bem estar geral, inclusive para saúde bucal, pois há vários nutrientes presentes em alimentos que são capazes de conservar e manter os dentes fortes e saudáveis.

Pasta de dente sem flúor: saiba quando usar

Em excesso, a pasta de dente sem flúor pode causar manchas brancas nos dentes

Recomendada especialmente para crianças pequenas, a pasta de dente sem flúor, que também deve ser evitada na escovação de adultos, devido à importância do elemento para a saúde bucal. Ainda assim, se utilizado em excesso, ele também pode ser prejudicial para o sorriso. O mais importante é saber quando e como usar. 

O flúor atua fazendo com que os dentes consigam manter sua estrutura normal em um meio bucal mais ácido do que normalmente suportariam. Mas, na presença da substância, o pH crítico para que ocorra a desmineralização do tecido dentário passa de 5,5 para 4,5. Ou seja, isso faz com que a arcada se torne mais resistente às cáries.

Por outro lado, é preciso ressaltar que não há pasta de dente milagrosa. Existem bons cremes dentais, com compostos que auxiliam a neutralizar a ação da placa bacteriana. Por isso, a remoção mecânica, ou seja, a escovação da superfície dos dentes é fundamental para que não ocorram doenças bucais.

Fonte: Vivo Mais Saudável

Escova dental: como escolher a ideal?

Veja as dicas de uma especialista para escolher a melhor escova dental e garantir um sorriso saudável!

A saúde da sua boca depende de vários fatores, dentre eles uma boa higienização. E a principal ferramenta, e pode-se dizer a mais importante delas, é a escova dental. Não só saber o melhor modo de se escovar, como também como cuidar de sua escova, vão influenciar diretamente nisso.

Leve seu bebê ao dentista!

Muitos pais e mães têm dúvidas sobre quando levar, pela primeira vez, o bebê  ao dentista. Conheça a importância de cuidar da saúde bucal dos pequenos. 

Após o nascimento do bebê, muitos pais conhecem a importância da realização de exames, como o teste do pezinho e olhinho, das consultas ao pediatra e outros especialistas, mas desconhecem a necessidade da ida ao dentista. Normalmente, com seis meses de vida surgem os primeiros dentinhos na criança. Por isso, é nessa fase que os pais devem procurar um odontopediatra – profissional especializado em odontologia infantil. Na consulta, os pais recebem orientação sobre dieta, higiene, aplicação de flúor, uso adequado de mamadeira e chupeta e também correção de maus hábitos, como chupar o dedo.

Saiba como agir em caso de traumas dentários durante o Carnaval

Especialista garante que todo trauma dental deve ser avaliado pelo dentista o mais rápido possível, mesmo a lesão que não parece muito importante.

O mês de fevereiro é o mês da festa, onde os foliões aproveitam ao máximo os quatro dias de Carnaval. Durante essa época do ano o cuidado com a saúde bucal deve ser redobrado. Evitar lesões e traumas dentários é fundamental para não estragar os dias de folia.

implantes dentários: descubra os mitos e verdades

Cerca de 2 milhões de implantes dentários de procedimento são feitos por ano no Brasil; saiba quem pode ou não fazer

Os implantes dentários são uma excelente opção para quem perdeu um ou mais dentes, mas como toda novidade, ainda gera dúvidas naqueles que têm indicação para o procedimento. No Brasil, a técnica está cada vez mais difundida: são realizados cerca de 2,2 milhões de implantes dentais por ano no país, segundo a ABIMO (Associação Brasileira da Indústria Médica, Odontológica e Hospitalar). Mas, será que qualquer pessoa pode fazer o procedimento? Para saber o que é verdade e o que não passa de um mito, a cirurgiã-dentista Ludimila Abi-Saber Toledo, especialista em periodontia e implantodontia, esclareceu algumas dúvidas.

Automedicação: por que você deve evitar?

Mesmo sob alertas constantes a automedicação tornou-se uma prática comum entre as pessoas. Saiba por que não fazê-lo. 

Uma cólica aqui, e lá vamos nós recorrer à famosa caixinha de remédios. Uma dor de cabeça ali, e certamente aquele remedinho que a tia toma vai amenizar. Um pouco de insônia, e então quem sabe um calmante possa resolver. Situações como essas se tornaram tão habituais que passam o aspecto de que a automedicação não envolve risco algum. Para se ter ideia do quanto essa prática está presente no dia a dia das pessoas, um levantamento feito pelo Instituto de Ciência Tecnologia e Qualidade (ICTQ) identificou que 76,4% dos brasileiros costumam se automedicar.

TENHA EM MENTE: poder adquirir um medicamento sem prescrição médica não é sinônimo de poder ingerir por indicação própria, na dosagem deduzidamente mais conveniente e no momento que parecer mais oportuno.

Fonte: Unimed

Escovar os dentes: 6 erros que devem ser evitados!

Por mais que os dentistas reforcem sempre a importância de uma boa escovação dental para a saúde geral da população, são poucos os adultos e crianças que sabem escovar os dentes de maneira correta.

 

De acordo com o doutor Artur Cerri, coordenador da Escola de Aperfeiçoamento Profissional da APCD (Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas), a correta higiene dos dentes e da gengiva é um ponto crítico para toda a saúde bucal. “Mesmo quem escova os dentes no mínimo duas vezes por dia não está livre de doenças se essa tarefa não é realizada de maneira adequada. A cárie é a principal delas, mas a situação pode piorar com o tempo caso não haja uma mudança no padrão adotado. É o caso das inflamações e infecções, que podem, inclusive, migrar para outras partes do corpo”.

A seguir, o especialista aponta os seis principais erros cometidos ao escovar os dentes e ensina a adultos e crianças o que deve ser feito:

 1. Escovar os dentes imediatamente após a refeição.

“Logo depois das principais refeições, ou mesmo após comer uma fruta ou um doce, algumas pessoas seguem direto ao toalete para escovar os dentes. Apesar de ser uma atitude louvável – sinalizando que a pessoa se importa com a saúde bucal – vale ressaltar que o ideal é, primeiramente, fazer um bochecho com água para reduzir a acidez e só depois realizar a escovação. Dessa forma, a acidez bucal diminui e a correta higienização é facilitada – protegendo o esmalte dos dentes”.

2. Ser rápido demais na escovação.

“Infelizmente, ainda tem muita gente que escova os dentes ‘por obrigação’. Ou seja, a pessoa compreende a importância desse hábito diário saudável, mas é vencida pela preguiça – e acaba escovando os dentes rapidamente, sem fazer uma boa limpeza. É importante saber que uma boa escovação dental não acontece em menos de dois minutos. As pessoas ficariam surpresas ao saber quanto um minuto a mais de escovação pode fazer pela saúde bucal”.

3. Não dar a mesma atenção a todos os dentes.

“É comum pessoas começarem a escovar os dentes com vontade e ir perdendo interesse aos poucos, limpando muito mal algumas partes. Tem gente, inclusive, que só usa fio dental nos dentes da frente. Isso está completamente errado! Dividindo a boca em quatro partes (lados direito e esquerdo, em cima e embaixo), devemos escovar cada parte por pelo menos trinta segundos – sem esquecer de escovar também a língua. Só assim estamos garantindo uma boca saudável, livre de cáries”.

4. Colocar muita força na escovação.

“Está certo que um dos propósitos da escovação é remover manchas e restos de comida. Mas não é necessário limpar os dentes como se estivesse polindo prata. Ao aplicar muita pressão na escovação, quem acaba saindo no prejuízo é o esmalte dental, que tem justamente a função de proteger os dentes das bactérias. Além disso, o esmalte é a parte mais clara do dente. O ideal é fazer movimentos circulares, tendo em vista que escovar não significa esfregar com força. Para os que têm dificuldade em controlar a força, uma solução é adotar escovas elétricas com sensores de pressão”.

5. Não enxaguar o suficiente.

“Depois de uma correta escovação, enxaguar a boca é um passo muito importante e que muitas pessoas, por pressa, não dão a devida atenção. Ao lavar bem a boca, o indivíduo se livra de várias partículas, como restos de comida, que poderiam contribuir para a formação das temíveis placas bacterianas. Por isso, vale a dica: enxágue bem a boca antes e depois da escovação, com bastante água limpa e fria”.

 6. Descuidar da limpeza e da substituição da escova.

 “A escova de dente é uma ferramenta fundamental para que seja feita uma perfeita higiene oral algumas vezes ao dia. Por ser bastante requisitada, ela também deve ser devidamente limpa logo após cada escovação para não acumular restos de alimento e se transformar numa colônia de bactérias. Além disso, esse instrumento tão importante para a saúde deve ser substituído por um novo ao menos três vezes ao ano. Existem modelos de escovas que indicam quando sua vida útil está chegando ao fim. O custo-benefício vale muito a pena, já que manter a saúde bucal é fundamental para ter boa saúde geral”.

Fonte: Prof. Dr. Artur Cerri, coordenador da Escola de perfeiçoamento Profissional da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas (APCD).

Quer dentes e gengivas saudáveis? Confira 7 alimentos que ajudam:

 Para ter dentes e gengivas mais saudáveis é importante investir na alimentação. Veja os 7 alimentos que vão te ajudar nesta missão:


Alimentos crus  deixam dentes e gengivas mais saudáveis

Para mastigar alimentos crus, geralmente é necessário fazer mais força com os ossos da mandíbula e do maxilar.”Essa força deixa os ossos que sustentam os dentes mais fortes, garantindo firmeza a eles”, conta Rodrigo Guerreiro. Mas não são apenas os alimentos crus, como maçãs, que ajudam, outros alimentos mais difíceis de mastigar (como a carne) também cumprem o papel.

Chiclete sem açúcar

Mascar chicletes sem açúcar entre as refeições estimula a formação de saliva, o que contribui para a limpeza dos dentes. O cirurgião dentista Rodrigo conta que essas gomas se tornam ainda mais valiosas quando providas do xilitol (veja o rótulo), um adoçante que ajuda o processo de remineralização dentária e contribui para a longevidade e a proteção dos dentes.

Água

“O consumo de água (com gás ou não)é importante para eliminar detritos, açúcares e ácidos”, afirma Oneida Werneck. Além disso, a água das grandes cidades é fluoretada, que reforça a resistência do esmalte do dente. “Quando ingerido durante a formação dos dentes, isso é, até os doze anos de idade, o flúor torna os dentes muito mais resistentes à cárie por toda a vida”. Veja algumas receitas de água aromatizada!

Leite e derivados

O cálcio presente no leite e derivados dele é essencial para garantir ossos fortes e saudáveis. E o mesmo vale para os dentes. O nutriente é parte da composição dos dentes e, em níveis adequados, garante uma boa saúde a eles, principalmente durante a sua formação. Mas o cirurgião dentista Rodrigo Guerreiro Bueno de Moraes, consultor científico da Associação Brasileira de Odontologia (ABO), explica que esses não são a única fonte de cálcio. Folhas verdes escuras, como a couve, podem compensar essa demanda – especialmente para quem não gosta ou não tolera a lactose.

Vitamina C

Oneida Werneck explica que a falta de vitamina C causa sangramento dasgengivas e diminuição da massa óssea, o que pode levar a perda dos dentes. Mas é bom não exagerar no consumo de alimentos muito ácidos – como a laranja e o abacaxi, ricos em vitamina C – que causam desmineralização e deixam o dente mais poroso. E, ao tomá-los, use canudinhos, impedindo o contato direto com os dentes. Outra opção é fazer um bochecho com água pura ou mesmo tomar um copo de água para neutralizar o ácido logo após sua ingestão. “Não se aconselha a escovação dos dentes nesta hora, pois o atrito da escova com o esmalte descalcificado faz com que ele se desgaste ainda mais”, recomenda a especialista.

Alimentos fibrosos

A mastigação de alimentos ricos em fibras, além de contribuir para a saúde gastrointestinal, tem a capacidade de promover a autolimpeza dos dentes, evitando a formação de placa bacteriana, a causadora de cáries e gengivite. “Além disso, frutas como maçã e pera podem substituir doces bem açucarados, os principais responsáveis pelas cáries”, afirma Oneida Werneck.

Vitamina D

O papel mais conhecido da vitamina D é sua atuação na absorção dos minerais cálcio e fósforo, relacionados à formação óssea. “A vitamina D aumenta a eficiência da absorção intestinal de cálcio em até 40% e a de fósforo em 80%”, afirma a nutricionista Thais Souza, da rede Mundo Verde. Essa influencia também aparece na arcada dentária, onde a vitamina D ajuda na fixação do cálcio nas bases ósseas e dentárias.

Fonte: Mulher online