Estética Dental

Dentes mais bonitos: veja 7 técnicas para conquistá-los

Mais do que nunca, dentes branquinhos e uniformes estão ao seu alcance. A odontologia estética promete transformar o seu visual, sem a necessidade de bisturi, com procedimentos mais rápidos e menos invasivos – mas muito eficientes.

 
Dentes mais bonitos


Aquela história de que dentes bonitos e bem tratados são o melhor cartão de visitas de qualquer pessoa é verdade mesmo. Afinal, sinalizam cuidado com a saúde e a aparência, além de refletirem na vida social e profissional de todo mundo. Sem falar que alavancam o amor-próprio e a autoconfiança e, dependendo do caso, valem por uma cirurgia plástica, já que são capazes de modificar a expressão do rosto (sem a necessidade de entrar no bisturi, ufa!).

Por isso, chega de esconder o sorriso com medo de exibir dentes amarelados, separados ou desalinhados. Conversamos com os melhores especialistas em odontologia estética e indicamos tratamentos rápidos, seguros e eficientes para consertar estas e outras falhas que levam as mulheres ao consultório do dentista. É hora de repaginar o sorriso de uma vez por todas!

Branco mais bonitos e brancos: clareamento com gel

Indicação: devolver a cor natural aos dentes amarelados por causa da alimentação, do cigarro ou da ingestão de remédios. “A técnica é mais duradoura do que o laser”, garante o dentista Marcelo Kyrillos, do Ateliê Oral, em São Paulo.

Como é: o profissional tira um molde da arcada dentária da paciente e encaminha ao protético, que faz a moldeira de silicone. Em casa, você coloca nela a quantidade indicada de gel de peróxido de carbamida e usa por meia hora todos os dias. “Ficar com a moldeira por poucos minutos durante um tempo prolongado (que pode variar de três semanas a 45 dias, dependendo do caso) é mais eficiente do que usá-la por horas durante poucos dias”, explica Kyrillos.

Pós-tratamento: você não precisa se privar de tomar café ou comer chocolate após o tratamento. “Se os dentes voltarem a pigmentar depois de algum tempo, o clareamento pode ser repetido aproveitando a mesma moldeira.”

Mudança dois em um: prótese dentogengival

Indicação: substituir dentes perdidos, principalmente quando a paciente apresenta grande perda óssea e não pode realizar o implante tradicional, ou cobrir dentes pequenos sem extraí-los. “Aqui, a gengiva e o dente são reproduzidos em porcelana e ganham aspecto completamente natural em cor e textura”, esclarece Marcelo Kyrillos. A prótese pode tanto ser implantada no osso (quando possível) ou cimentada sobre o dente original.

Como é: com base em uma tomografia computadorizada da face, o dentista reproduz a boca da paciente em gesso. Por cima do molde, refaz em cera os defeitos a ser corrigidos ou os dentes que devem ser trocados e confecciona uma prótese em resina acrílica, que a paciente vai usar por 15 dias para adaptação da musculatura facial e da respiração. Depois, ela é substituída pela permanente.

Pós-tratamento: a limpeza é igual à dos dentes naturais e não há restrições na alimentação.

Alinhamento perfeito: facetas de porcelana

Indicação: encapar a face externa de dentes manchados, desalinhados ou separados e garantir um sorriso uniforme.

Como é: “Na primeira consulta, o dentista define o que precisa ser alterado, faz o desgaste do dente com a broca e tira o molde de silicone daqueles a ser recobertos. Então, envia ao laboratório de prótese para confeccionar as lâminas de porcelana, que terão de 0,3 milímetro a 1 milímetro de espessura”, descreve o dentista especializado em odontologia estética Lauro Delgado Júnior, de São Paulo. Até a sessão seguinte, a paciente usa uma restauração provisória de resina e, no dia da aplicação, o profissional cola as lâminas com cimento próprio. Apesar do benefício estético, a desvantagem é a necessidade de desgastar dentes saudáveis.

Pós-tratamento: os cuidados são fazer a higienização normal e visitar o dentista periodicamente para avaliar a necessidade de limpeza e polimento das facetas.

Mínimos detalhes: fragmentos de porcelana

Indicação: são a evolução das facetas. “Em vez de cobrir toda a face do dente, os pedaços de lâminas são aplicados em um canto, na base ou no meio, por exemplo, a fim de preencher vãos e dentes fraturados ou gastos”, descreve Marcelo Kyrillos. “Não são indicados para igualar a cor ou alinhar dentes tortos.”

Como é: em uma primeira consulta, o dentista vai fazer um modelo de gesso no formato certo para que o protético confeccione os fragmentos de porcelana na cor exata. Uma vantagem dos fragmentos em relação às facetas é que não acontece o desgaste da superfície do dente, e eles são colados com cimento próprio direto sobre o esmalte.

Pós-tratamento: os cuidados são os mesmos para a colocação de facetas de porcelana.

Gengiva mais clara: peeling gengival

Indicação: quando a gengiva é escura, o que acontece por causa da concentração maior de melanina no tecido.

Como é: “Depois de aplicar anestesia local, é feito o desgaste mecânico da superfície da gengiva, utilizando broca ou lâminas”, descreve o cirurgião-dentista Cristiano Pascoal, de Vitória. O procedimento demora cerca de uma hora, provoca dor suportável, de acordo com o profissional, e um pouco de sangramento.

Pós-tratamento: durante a primeira semana ficam proibidos alimentos ácidos, salgados e picantes, já que a boca está mais sensível, mas você só vai precisar tomar analgésico no primeiro dia. Nos dez dias seguintes ao procedimento, deve utilizar solução de irrigação (à base de digluconato de clorexidina) para ajudar na higienização do local, porque não vai poder usar escova, pasta e fio dental nesse período. A cicatrização acontece entre sete e dez dias. “Com o tempo, pode ser que o tecido volte a escurecer, já que se renova constantemente, mas ele não costuma recuperar a cor original. Nesse caso, o procedimento pode ser repetido”, diz Cristiano.

Dentes em evidência: cirurgia plástica de gengiva

Indicação: corrigir o chamado sorriso gengival, diminuindo a exposição exagerada de tecido e aumentando os dentes.

Como é: Cristiano Pascoal explica que, depois de uma limpeza bucal e com anestesia local, o excesso de tecido gengival é removido cirurgicamente com microlâminas de bisturi e a gengiva é estabilizada na posição correta (com ou sem sutura, dependendo do caso). O procedimento demora entre uma e duas horas, de acordo com a extensão abordada, provoca dor suportável e um pouco de sangramento.

Pós-tratamento: nos dois primeiros dias, você deve tomar analgésico e, por dez dias, usar solução de irrigação para auxiliar na higiene. Também precisa evitar morder com os dentes próximos nos dez primeiros dias, quando são retirados os pontos, se houver sutura. O resultado é percebido imediatamente e a cicatrização começa em 15 dias, mas o processo completo se dá em aproximadamente seis meses.

Boca nova em folha: implante sem corte

Indicação: repor dentes perdidos sem fazer cortes extensos na gengiva nem dar pontos. Quem teve grande perda óssea precisa antes se submeter a um enxerto de osso que permita a fixação da prótese.

Como é: a técnica foi a grande novidade do 7º Simpósio Internacional de Prótese e Implante, realizado em maio em São Paulo. Tudo começa com uma tomografia computadorizada, que vai analisar a condição de ossos e músculos, além de tamanho e posição dos dentes, na arcada da paciente. “O exame passa por um programa de computador em que são geradas imagens tridimensionais que vão auxiliar o dentista no planejamento de como serão colocados os implantes”, conta o cirurgião-dentista Rodolfo Candia Alba Júnior, de São Paulo, diretor da Associação Brasileira da Indústria Médico-Odontológica (Abimo). Com base nessas imagens, é confeccionada uma guia cirúrgica (espécie de protótipo) de resina com os orifícios para posicionamento exato e cada dente implantado. O dentista coloca essa guia na boca da paciente e perfura a gengiva e o osso com motor e kit cirúrgico especial nos locais indicados para fixar as próteses de titânio e cerâmica. A intervenção cirúrgica é rápida: cada implante leva menos de dez minutos.

Pós-tratamento: a calcificação do osso sobre o titânio leva entre três e seis meses, mas a paciente sai do consultório podendo comer de tudo e fazer a higiene normal.

Fonte: M de Mulher

Clareamento dental prejudica os dentes?

São muito comuns as perguntas a respeito do clareamento dental; talvez por se tratar de um tratamento estético, isto estimule a curiosidade de quase todo mundo.

As dúvidas são referentes a indicação e aos métodos de uso do clareamento, mas certamente a mais importante é se esse tipo de tratamento traz algum dano a estrutura do dente.

Devemos esclarecer antes de tudo que não é necessário que os dentes estejam extremamente manchados ou com uma coloração muito escurecida para que o paciente esteja habilitado a optar pelo tratamento de clareamento. O clareamento é um tratamento sugerido para qualquer paciente que tenha algum tipo de insatisfação com a cor dos dentes.

Profilaxia (limpeza) e a raspagem de tártaro (cálculo) podem dar um efeito de branqueamento, por removerem a placa bacteriana da superfície do dente. Mas quando a intenção é mudar a cor do dente, o único tratamento eficaz é realmente o clareamento.

Não existe uma comprovação científica de que um método de aplicação seja mais ou menos eficaz que outro. O que existe é uma resposta melhor de determinado paciente a um tipo de clareamento seja ele caseiro (realizado pelo próprio paciente) ou a laser (realizado pelo dentista).

O clareamento caseiro é realizado através da aplicação do gel em moldeiras. Com aplicações que variam de 1 a 6 horas por dia dependendo da concentração e do tipo de gel utilizado. Já o clareamento a laser é realizado em sessões que duram cerca de uma hora e meia.

Durante o tratamento deve-se evitar alimentos com muita pigmentação: café, refrigerante e vinho, por exemplo.

O gel utilizado no clareamento não é abrasivo e muito menos enfraquece o dente, e quanto maior a sua concentração mais rápido pode ser realizado o clareamento. Porém dependendo da concentração o clareamento só pode ser realizado em consultório, já que o gel em altas concentrações, quando em contato com a gengiva, língua ou bochecha pode queimar. Conclui-se então que esse tipo de tratamento não traz nenhum dano ao dente, somente benefícios estéticos e para a autoestima, isso quando feito com o acompanhamento de um cirurgião dentista.

Fonte: La Santé