Tratamentos estéticos para os dentes aumentam as buscas neste final de ano

Tratamentos estéticos para os dentes aumentam as buscas neste final de ano

Clareamento, facetas e lentes de contato são os queridinhos entre os pacientes

Final de ano, comemorações se aproximando e aquela vontade de mudar e sair com um sorriso bonito nas fotos? Pois saiba que nessa época as demandas pelos tratamentos odontológicos são bastante procurados.

O clareamento dental está entre os mais buscados nas clínicas por exercer um grande impacto na estética bucal e autoestima das pessoas. Desde que chegou ao mercado, esse tratamento ganhou muitos adeptos, por ser um procedimento pouco invasivo e apresentar resultados satisfatórios.

“O clareamento dental utiliza produtos à base de peróxido de hidrogênio, que, quando em contato com a superfície dos dentes, conseguem quebrar as moléculas pigmentadas, dissociando-as em moléculas menores e deixando o dente mais claro’’, afirma a dentista Renata Amorim, da clínica Vitácea em Belo Horizonte.

Através do contato com agentes clareadores, é possível recuperar a cor original dos dentes.

Mas cuidado! Pacientes que apresentam problemas bucais como cáries e lesões dentárias não são indicadas para o tratamento. Gestantes, no final da gravidez, também devem evitar o procedimento. Lentes x facetas, qual a diferença? Os pacientes também podem contar com a colocação de lentes de contato para ter dentes mais bonitos, alinhados e brancos.

As lentes de contato dentais ajudam a melhorar a parte estética e funcional de pacientes que estão insatisfeitos com seu sorriso. Elas podem ser utilizadas para dar um novo formato aos dentes, corrigir apenas um dente que esteja com a coloração ou formato inadequado e até mesmo fazer a correção de toda a arcada como é o caso de pessoas que têm a curva de sorriso invertida (sorriso triste), corredor bucal amplo (sorriso estreito), dentes curtos e diastemas.

Entretanto, para a colocação das lentes, os dentes precisam passar por um desgaste em sua estrutura. Por este motivo, é importante que o procedimento seja realizado por um profissional especializado no assunto.

Quem deseja colocar lentes nesse final de ano deve ter a atenção redobrada. Isso porque é necessário mudar certos hábitos, como não mastigar gelo, morder objetos e ter cautela ao comer alguns alimentos crocantes.

Já as facetas são próteses finas, que servem para cobrir as faces dos dentes e dar a eles uma melhor aparência ao sorrir. “Funcionam como pequenas capas para os dentes, já que são coladas na parte da frente de dentes que estão trincados, manchados, espaçados ou desalinhados, podendo ser colocadas em um só dente ou em vários ao mesmo tempo, para harmonizar o sorriso.’’ pontua a Dr Renata Amorim.

Existem dois tipos de facetas: as de porcelana e as de resina. Enquanto as facetas de resina são mais baratas e mais fáceis de aplicar, as facetas de porcelana são consideravelmente mais caras, mas são mais resistentes e costumam durar mais tempo. Apesar disso, tanto as facetas de porcelana, como as de resina composta têm de ser substituídas se forem danificadas.

A higienização das facetas não é diferente dos dentes normais. Mas o ideal é evitar colocar e morder objetos duros, como canetas ou utilizar piercings bucais, por exemplo, além do cuidado ao mastigar alimentos mais consistentes.

Cuide sempre da sua saúde bucal! Em caso de escolha por algum desses tratamentos, se atente aos cuidados. Seu sorriso é a sua porta de entrada!

Fonte: Renata Amorim, cirurgiã-dentista, especialista em implantodontia e sócia da Clínica Vitácea Odontologia, em Belo Horizonte.

Odontologia Integrada: saúde bucal passa por todo o corpo

Entenda como o tratamento multidisciplinar é fundamental para a saúde da boca que influencia em geral o organismo

Grande parte da população já conhece a importância de cuidar da saúde bucal. Além de manter o sorriso bonito e a autoestima lá em cima, essa parte do corpo também ajuda na manutenção geral do organismo. Afinal, a boca é, literalmente, uma porta de entrada para diversos nutrientes e microorganismos que podem fazer muito bem ou serem responsáveis pelo surgimento de diversos problemas.

 

Exatamente por isso, um conceito de cuidados com a própria saúde ganha cada vez mais destaque ao longo dos anos: a odontologia integrada. Ludimilla Abi-Saber Toledo, cirurgiã dentista e sócia da clínica Vitácea, em Belo Horizonte, explica que essa nomenclatura nada mais é que os cuidados realizados de forma completa para os pacientes, ou seja, o tratamento multidisciplinar. “Tanto para pacientes que já sofrem com um estágio mais avançado de uma doença, tanto para aqueles que ainda estão no início, o tratamento em conjunto com outras especialidades é muito importante, já que as consequências de tal problema podem começar a se espalhar – ou já ter se espalhado – para outra parte do corpo”, diz.

 

Este é o caso, por exemplo, de pessoas que começam a ter algum abalo na parte estética ou doenças derivadas de problemas bucais. “Grande parte dos pacientes podem sofrer com danos estéticos e acabar com problemas relacionados a autoestima, entre outros transtornos mentais, em casos mais graves até depressão. Enquanto isso, algumas doenças odontológicas estão diretamente ligadas a doenças gastrointestinais, cardiovasculares, dentre outros”, comenta.

 

É nesse momento que o papel de outros especialistas passa a ser tão importante. “Quando tais doenças causam esse tipo de consequência, não adianta tratarmos apenas a boca, pois a doença continuará existindo em outros locais. Por isso, realizamos a avaliação e, caso seja necessário, encaminhamos o paciente para os demais profissionais adequados”, esclarece.

 

Nutrição e saúde bucal

 

Todas as especialidades exercem algum papel em relação a saúde bucal. Porém, uma que é praticamente obrigatória é a área da nutrição. Ludimilla afirma que, além de estar presente quando ocorre alguma consequência derivada de uma doença bucal, a nutrição também é fundamental para prevenir e evitar qualquer quadro de risco. “Uma boa alimentação vai muito além de manter um bom funcionamento do nosso organismo. Ela também é responsável por manter os dentes saudáveis, limpos, preservar o esmalte, a estrutura óssea, evitar a proliferação de fungos e bactérias, além de outros detalhes que os alimentos adequados tem papel fundamental. Então, mesmo sem uma doença aparente, vale a pena manter o tratamento multidisciplinar com dentistas e nutricionistas, por exemplo”, recomenda. 

 

Fonte: Ludimilla Abi-Saber Toledo, cirurgiã dentista, especialista em periodontia e capacitada em harmonização facial. É professora na pós-graduação em periodontia da Faculdade São Leopoldo Mandic e sócia da Clínica Vitácea, em Belo Horizonte.

Covid-19: doenças bucais podem prejudicar tratamento

Saiba quais os cuidados importantes para ajudar no combate ao novo coronavírus

A boca sempre foi considerada uma porta de entrada para diversas doenças. Atualmente, além dos problemas mais conhecidos, cuidar dessa parte do corpo também é fundamental para o combate a Covid-19. Doenças infecciosas e diversos tipos de bactérias podem prejudicar a saúde e influenciar no tratamento ou sintomas do novo coronavírus.

A cirurgiã dentista Ludimilla Abi-Saber Toledo, explica que o alerta refere-se a quem é acometido pela doença e desenvolve os sintomas mais graves da Covid-19. “É importante salientar que não existe relação direta entre o desenvolvimento do coronavírus e as doenças bucais. O que acontece é que uma boa higienização, além dos cuidados comuns amplamente divulgados, reduz as chances de propagação do vírus, além de evitar doenças responsáveis pelo agravamento dos sintomas relacionados”, completa. 

Quando se fala da relação com o tratamento, o risco pode ser devido às bactérias e infecções que nascem na boca e podem se alastrar para o resto do organismo. “Em caso de internação ou intubação, em que o sistema imunológico fica mais fraco, essas bactérias podem se proliferar causando um risco maior para a saúde do paciente”, esclarece.

Por isso, segundo Ludimilla, os cuidados devem ser mantidos e redobrados durante a pandemia. “Caso esteja passando por algum tratamento odontológico, não abandone sem antes se consultar com o especialista responsável pelo seu caso. A recomendação é ficar em casa o máximo que puder, mas sempre prezando pela saúde geral do corpo para se manter saudável em todos os quesitos”, diz.

Cuidados em casa 

Ludimilla ressalta os principais cuidados diários para evitar doenças bucais e qualquer tipo de complicação. “Mantenha a rotina de higiene com escovação frequente após cada refeição e uso do fio dental. Para esse momento, também é recomendado a atenção em relação aos doces. Muita gente procura esse tipo de alimento para aliviar o estresse, mas ele pode ser prejudicial para os dentes e outros locais do organismo”, orienta.

Fonte: Ludimilla Abi-Saber Toledo, cirurgiã dentista, especialista em periodontia e capacitada em harmonização facial. É professora na pós-graduação em periodontia da Faculdade São Leopoldo Mandic e sócia da Clínica Vitácea, em Belo Horizonte.

Clínica odontológica realiza campanha para ajudar mulheres em situação de vulnerabilidade

Cuidar da saúde bucal pode ter um significado ainda mais especial no mês de agosto

A clínica Vitácea Odontologia realiza durante o mês de agosto uma campanha especial em parceria com a Associação Meninas do Bem. Para alavancar o número de doações para o projeto, a cada avaliação ou primeira consulta de um paciente, a Vitácea fará uma doação para a instituição.

A Associação Meninas do Bem realiza por meio da costura ações para apoiar mulheres gestantes em situação de vulnerabilidade. Todos os meses, a equipe que conta com diversas voluntárias produz enxovais para doar as mães que acabaram de dar a luz ou gestantes de alto risco que precisam de apoio. Além dos enxovais costurados por elas, as doações envolvem itens de higiene pessoal, brinquedos, fraldas e outras necessidades da rotina materna.

Renata Amorim, cirurgiã dentista e sócia da Vitácea, conta que ela e a equipe da clínica se apaixonaram pelo projeto assim que o conheceram e, assim, resolveram incentivar outras pessoas a ajudarem. “Não é necessário oferecer muito. Um pouquinho de cada um já pode ajudar. Além disso, desejamos que atos simples também possam ser responsáveis por fazer o bem ao próximo. Então, decidimos realizar essa conscientização através de algo que é uma rotina: o cuidado com a saúde bucal. Ou seja, mesmo que não possua condições de realizar uma grande doação, você poderá ajudar”, conta.

Serviço

Para participar da campanha, basta procurar a Vitácea e marcar a sua avaliação. Para mais informações, acesse @vitáceadontologia no Instagram ou entre em contato por telefone.

Contato: (31) 3492-1157 / WhatsApp: (31) 97302-1812

Endereço: Avenida Guarapari, 350 – Belo Horizonte

Para conhecer a Associação Meninas do Bem, acesse @associacao.meninasdobem ou meninasdobem.com.br

A campanha “Avaliação do Bem” ocorre até o final de agosto (31/08).

Fonte: Renata Amorim, cirurgiã-dentista, especialista em implantodontia e sócia da Clínica Vitácea Odontologia, em Belo Horizonte

Tratamentos odontológicos devem continuar na pandemia?

Especialista alerta sobre importância de manter cuidados e continuar com os procedimentos já iniciados para evitar complicações

A pandemia da Covid-19 trouxe preocupações e muito medo para a sociedade em geral.Com isso, muita gente se sente inseguro para sair de casa mesmo quando necessário.Especialistas relatam que houve diminuição na busca por tratamentos odontológicos em clínicas e consultórios. Enquanto isso, alguns pacientes que estavam em tratamento, abandonaram as consultas antes de finalizá-las corretamente.

No entanto, a cirurgiã dentista Ludimilla Abi-Saber Toledo alerta que essa decisão pode ser prejudicial à saúde. “Dependendo do caso do paciente, não terminar um tratamento pode ter as mesmas consequências de não começá-lo. Portanto, pode haver a piora no quadro e ocasionar uma situação de urgência”, diz.

Ludimilla destaca que, para quem está com um tratamento em andamento, o mais seguro é continuá-lo e seguir as recomendações das autoridades em saúde.“Continue em contato com seu dentista para entender se o tratamento pode esperar ou não. Caso a sua situação
exija a continuidade, não esqueça de se cuidar conforme as recomendações: evite aglomerações, higienize as mãos frequentemente e utilize máscaras.Além disso, os consultórios estão autorizados a atender as situações que não podem esperar seguindo
todas as normas de higiene e prevenção contra a Covid-19”, acrescenta.

Cuidados em casa

Mesmo que não esteja passando por um tratamento odontológico,Ludimilla também
enfatiza a necessidade de redobrar os cuidados dentro de casa.“Esse é um momento em
que devemos fortalecer ainda mais a saúde para evitar a necessidade de ir a hospitais.Porém,ao passar mais tempo em casa, muita gente pode negligenciar os cuidados com a boca.Então lembre-se de manter a higienização completa, sempre após as refeições e continuar em contato com um profissional a distância para o acompanhamento de rotina”, recomenda.

A Vitácea Odontologia conta com profissionais e uma estrutura pronta para te atender com todas as medidas de proteção necessárias. Cuide da sua saúde bucal e evite complicações desnecessárias. Entre em contato para tirar dúvidas e agende um horário de atendimento.

contato@vitacea.com.br | (31) 3492-1157 | WhatsApp: (31) 97302-1812  ou clique na imagem abaixo, onde você sera redirecionado para nosso WhatsApp.  

Saúde mental pode influenciar saúde bucal, entenda

Pesquisa mostra que casos de depressão aumentaram quase 100% durante isolamento social; doença pode influenciar surgimento de problemas na boca

O período de pandemia da Covid-19 tem sido um momento difícil para diversas pessoas. Além da doença em si que causa alarde, outros problemas se tornaram preocupação entre especialistas. De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), os casos de depressão aumentaram cerca de 90% no Brasil durante o isolamento social. Enquanto isso, a ansiedade obteve aumento de 71% e o estresse cerca de 40%. Esses dados além de refletirem a saúde mental abalada da população também causa outro alerta: as consequências para a saúde bucal.

A cirurgiã dentista Ludimilla Abi-Saber Toledo, explica que muitos transtornos psicológicos podem causar doenças na boca comuns entre a população. Uma delas é o bruxismo. “Nas últimas semanas, os casos de bruxismo aumentaram no consultório. Além de ser uma doença relacionada ao fator genético, ela também está ligada ao estresse e ansiedade. E o bruxismo pode causar diversos incômodos, como dores de cabeça, no pescoço e na mandíbula, zumbido no ouvido e alterações no sono. Os principais riscos também estão ligados aos traumas dentários, o desgaste dos dentes e problemas na gengiva que podem ser uma porta de entrada para outras doenças e infecções”, esclarece.

Outros problemas bucais comuns decorrentes da saúde mental abalada podem ser a boca seca – ou Xerostomia – e a periodontite. “Ambas podem causar infecções e diversos problemas graves para a saúde bucal”, alerta a dentista.

Ludimilla destaca que a melhor forma de evitar tais transtornos é mantendo os cuidados gerais com o corpo. “Por isso, sempre destacamos que a saúde física e mental devem receber a mesma atenção. Geralmente, elas sempre estão interligadas. Principalmente agora durante o período de pandemia, continuar mantendo contato, mesmo à distância, com profissionais de diferentes especialidades é importante”, garante.

Fonte: Ludimilla Abi-Saber Toledo, cirurgiã dentista, especialista em periodontia e capacitada em harmonização facial. É professora na pós-graduação em periodontia da Faculdade São Leopoldo Mandic e sócia da Clínica Vitácea, em Belo Horizonte.

contato@vitacea.com.br | (31) 3492-1157 | WhatsApp: (31) 97302-1812  ou clique na imagem abaixo, onde você sera redirecionado para nosso WhatsApp.  

Quarentena: cuidados com saúde bucal infantil devem redobrar

Além de preservar a saúde do organismo, é necessário redobrar a atenção para evitar acidentes e traumas nesse período de isolamento social

Com as crianças passando mais tempo em casa, devido a pandemia do novo coronavírus, os pais ficam mais preocupados com a saúde dos pequenos. A falta de rotina e brincadeiras perigosas podem ser prejudiciais para a saúde bucal, por exemplo. Portanto, o momento pede cuidados redobrados.

Segundo a cirurgiã-dentista Ludimilla Abi-Saber Toledo, assim como em época de férias, o isolamento social tem sido responsável pelo aumento nas queixas de problemas bucais com as crianças. “Isso acontece principalmente pela rotina diferente. Sem frequentar as escolas e com poucas opções de entretenimento dentro de casa, elas podem abusar um pouco dos alimentos e sofrer traumas dentários por causa da agitação e acidentes – como quedas”, esclarece.

Como o momento atual exige que os pacientes busquem atendimento apenas em casos de emergência e urgência, Ludimilla orienta que o melhor a se fazer é redobrar os cuidados. “Evite exagerar nas guloseimas e mantenha a higienização com escovação, fio dental e enxaguante bucal sempre após as refeições. E, no caso das crianças, não esqueça de checar se a boca foi limpa por completo e da maneira correta”, diz.

Traumas dentários

No caso de acidentes, a melhor forma de evitá-los é com a prevenção. “Os traumas dentários em crianças são um dos principais motivos de consultas de emergência no consultório. Sabemos que com os pequenos em casa, qualquer minuto de distração pode ocasionar um acidente. Uma dica é intensificar a segurança. Evite brincadeiras perto de escadas e móveis pontiagudos, por exemplo. Quanto ao chão, caso seja escorregadio, coloque tapetes antiderrapantes ou um calçado que gere mais firmeza nos pés”, indica Ludimilla.

Caso ocorra algum acidente, a cirurgiã-dentista faz o alerta: “Em caso de fratura de algum dente ocasionada por um trauma, deve-se colocar o fragmento do dente ou o dente inteiro, em caso de traumas de avulsão, mergulhado em um pouco de leite e procurar um dentista imediatamente”.

Fonte: Ludimilla Abi-Saber Toledo, cirurgiã dentista, especialista em periodontia e capacitada em harmonização facial. É professora na pós-graduação em periodontia da Faculdade São Leopoldo Mandic e sócia da Clínica Vitácea, em Belo Horizonte.

Estresse ocasionado pela crise de Covid-19 pode aumentar casos de Bruxismo

Confira dicas para controlar o problema sem sair de casa

O bruxismo é uma desordem que atinge cerca de 30% da população mundial, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil o número é ainda maior: até 40% da população. O problema é caracterizado por uma movimentação excessiva e repetitiva dos músculos mastigatórios com apertamento e ranger de dentes enquanto a pessoa está acordada (bruxismo em vigília) ou dormindo (bruxismo do sono).

A cirurgiã dentista Renata Amorim explica que as causas do bruxismo em vigília ainda não são bem conhecidas, mas há uma ligação com a ansiedade e o estresse e, por isso, durante o período de pandemia da Covid-19, a tendência é que os casos em território nacional e no mundo aumentem. Já o bruxismo enquanto dorme pode estar relacionado aos distúrbios do sono e a privação do sono de qualidade, algo que pode levar também à ansiedade e estresse.

“Existe também o bruxismo decorrente de doenças que o paciente possui como, por exemplo, Parkinson, distúrbios psiquiátricos e psicológicos, apnéia do sono, uso de álcool, drogas e de alguns medicamentos”, completa a dentista.

Essa condição de apertar e ranger os dentes pode causar dano à saúde bucal e gerar outros efeitos como dor de cabeça e dores musculares. Renata indica que, em diversos casos, o paciente pode nem saber que possui o problema. “Muitas pessoas que sofrem com o bruxismo que se manifesta durante o sono só percebem quando são avisadas por terceiros ou quando já estão em um nível avançado da doença – apresentando sinais como alteração na forma dos dentes e dores de cabeça”, destaca.

Portanto, a principal recomendação é ficar atento aos mínimos sinais. “Dores na face, no ouvido, na cabeça e dentes desgastados podem ser os primeiros sintomas”, orienta.

Bruxismo no isolamento social

Ao ser acometido por qualquer sintoma do bruxismo, a principal recomendação é procurar um especialista para controlar o problema. Porém, em época de isolamento social, isso deve ser feito apenas em casos mais graves. Enquanto isso, procurar o contato com seu dentista é o caminho.”Existe a tendência de que nesse momento as pessoas sejam mais acometidas pelo bruxismo devido ao estresse e ansiedade que estamos vivendo de ficar em isolamento. Caso sinta algum sintoma, não hesite em ligar para o dentista para que ele possa avaliar seu caso e indicar como proceder”.

Renata também indica que é importante manter hábitos saudáveis, como uma boa alimentação e exercícios físicos, além de investir em momentos de lazer em casa. “Para evitar o bruxismo, a melhor opção é prevenir a saúde física e mental. Lembre-se de continuar fazendo o que gosta em casa, tente relaxar e faça exercícios regulares”, aconselha.

Fonte: Renata Amorim, cirurgiã-dentista, especialista em implantodontia e sócia da Clínica Vitácea Odontologia, em Belo Horizonte.

Qual a relação da saúde bucal com o combate à Covid-19?

Qual a relação da saúde bucal com o combate à Covid-19?

A boca exerce um papel fundamental para controlar e manter a saúde em todo o corpo, afirma especialista

A Covid-19 é a principal preocupação mundial da atualidade. As consequências do novo Coronavírus para a saúde podem ser graves dependendo das doenças preexistentes no organismo de cada indivíduo. Assim, os cuidados com o sistema imunológico são os mais recomendados. Além disso, cuidar da saúde geral do corpo é fundamental para evitar doenças que colocam o indivíduo no grupo de risco.

“A saúde bucal exerce um papel fundamental para controlar e manter a saúde em todo o corpo, já que esta é a porta de entrada para diversas bactérias e doenças relacionadas”, afirma a cirurgiã dentista Ludimilla Abi-Saber Toledo. Segundo ela, a má higienização bucal pode ser um dos principais vilões para a saúde. “Além dos problemas mais conhecidos, como o mau-hálito e a perda dos dentes, a falta de cuidados com a boca prejudica outros pontos fundamentais da saúde. As bactérias e fungos que causam as doenças bucais mais comuns entram na corrente sanguínea e se proliferam em outros locais, comprometendo todo o organismo”, explica.

Doenças preexistentes x Coronavírus

Um dos problemas mais comuns relacionados às bactérias e fungos da boca são as doenças cardiovasculares, um mal que está ligado ao grupo de risco da Covid-19. “As bactérias que proliferam pela falta de higiene adequada alcançam o coração e aderem ao órgão causando inflamações. Tais inflamações podem ser a causa de problemas mais graves como a endocardite, arteriosclerose, AVC e outros”, alerta Ludimilla.

Além do coração, a Diabetes também é um problema que pode ocorrer devido a falta de cuidados com a área bucal. “Além disso, pacientes que apresentam doenças periodontais ativas e precisarem ser entubados para o tratamento da Covid-19, correm maiores riscos de desenvolver a pneumonia aspirativa”, acrescenta.

Cuidados em casa

A especialista reforça que durante o período de isolamento social devem ser atendidos em consultórios odontológicos apenas casos de urgência e emergência para evitar a propagação do vírus. Portanto, os cuidados devem ser redobrados em casa. “Recomendamos que seja feita uma higienização bem feita após as refeições, com escova, pasta dental e fita dental. Não esqueça também de escovar a língua. Em alguns casos, é indicado o uso de escovas especiais, como os modelos interdentais e unitufo, indicados pelo seu dentista”, conclui.

Fonte: Ludimilla Abi-Saber Toledo, cirurgiã dentista, especialista em periodontia e capacitada em harmonização facial. É professora na pós-graduação em periodontia da Faculdade São Leopoldo Mandic e sócia da Clínica Vitácea, em Belo Horizonte.

Saúde bucal pode reduzir as chances de contágio do Coronavírus

Boa higiene é um dos principais responsáveis pela preservação do sistema imunológico

Nos últimos dias, o Coronavírus se tornou o assunto mais comentado mundialmente. Após o surto de contágio em diversos países do mundo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o problema como pandemia e, no Brasil, as pessoas ainda buscam mais informações e se preocupam com formas de prevenção, já que ainda não foi desenvolvida uma vacina. Neste cenário de insegurança, a saúde bucal é aliada para controlar o problema, pois ela é um dos principais responsáveis pela preservação do sistema imunológico.

A cirurgiã dentista e especialista em periodontia, Ludimilla Abi-Saber Toledo, explica que os problemas bucais podem contribuir para a redução da imunidade, pois na região existem milhares de bactérias que podem causar infecções e debilitar o sistema imune. “Algumas doenças bucais, como a gengivite e a periodontite, afetam diretamente o sistema imune do paciente, fazendo com que ele se torne mais suscetível ao contágio. Caso ele contraia a doença, a chance de mortalidade pode ser maior”, alerta.

Cuidados

A especialista esclarece que cuidar da saúde bucal deve ser um hábito constante para prevenir prevenir doenças gengivais e dentárias e, consequentemente, aumentar a imunidade. “Além disso, pacientes que possuem eficiência mastigatória trituram melhor os alimentos. Com isso, o organismo absorve melhor os nutrientes, melhorando a ingestão de vitaminas e sais minerais, tão importantes para o sistema imunológico”, explica.

Saúde Bucal x Coronavírus

De acordo com Ludimilla, um paciente que possui doenças bucais obtém um sistema imunológico mais debilitado, algo que favorece o aumento da mortalidade pelo vírus Covid-19 (Coronavírus). “O paciente deve cuidar bem da higienização, escovando os dentes e usando o fio dental de forma correta. Isso vai manter a cavidade bucal livre de placa bacteriana e diminuir a chance de instalação de doenças bucais ou o avanço delas, no caso de quem já esteja infectado”, orienta.

Recomendação

Neste momento, em que a epidemia cresce a cada dia no país, a especialista alerta sobre a importância de manter cuidados consigo mesmo e com quem está ao redor. “Procure um dentista para se certificar que sua saúde bucal está em dia e, caso necessite de um tratamento, faça-o o quanto antes para que você fortaleça seu sistema imune. É importante lembrar que o paciente que estiver com o coronavírus não deve ir ao dentista, os cuidados devem ser feitos em casa ou no hospital”, complementa.

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Ludimilla Abi-Saber Toledo, cirurgiã dentista, especialista em periodontia e capacitada em harmonização facial. É professora na pós-graduação em periodontia da Faculdade São Leopoldo Mandic e sócia da Clínica Vitácea, em Belo Horizonte.

Página 1 de 1312345...10...Última »