Blog

Quarentena: cuidados com saúde bucal infantil devem redobrar

Além de preservar a saúde do organismo, é necessário redobrar a atenção para evitar acidentes e traumas nesse período de isolamento social

Com as crianças passando mais tempo em casa, devido a pandemia do novo coronavírus, os pais ficam mais preocupados com a saúde dos pequenos. A falta de rotina e brincadeiras perigosas podem ser prejudiciais para a saúde bucal, por exemplo. Portanto, o momento pede cuidados redobrados.

Segundo a cirurgiã-dentista Ludimilla Abi-Saber Toledo, assim como em época de férias, o isolamento social tem sido responsável pelo aumento nas queixas de problemas bucais com as crianças. “Isso acontece principalmente pela rotina diferente. Sem frequentar as escolas e com poucas opções de entretenimento dentro de casa, elas podem abusar um pouco dos alimentos e sofrer traumas dentários por causa da agitação e acidentes – como quedas”, esclarece.

Como o momento atual exige que os pacientes busquem atendimento apenas em casos de emergência e urgência, Ludimilla orienta que o melhor a se fazer é redobrar os cuidados. “Evite exagerar nas guloseimas e mantenha a higienização com escovação, fio dental e enxaguante bucal sempre após as refeições. E, no caso das crianças, não esqueça de checar se a boca foi limpa por completo e da maneira correta”, diz.

Traumas dentários

No caso de acidentes, a melhor forma de evitá-los é com a prevenção. “Os traumas dentários em crianças são um dos principais motivos de consultas de emergência no consultório. Sabemos que com os pequenos em casa, qualquer minuto de distração pode ocasionar um acidente. Uma dica é intensificar a segurança. Evite brincadeiras perto de escadas e móveis pontiagudos, por exemplo. Quanto ao chão, caso seja escorregadio, coloque tapetes antiderrapantes ou um calçado que gere mais firmeza nos pés”, indica Ludimilla.

Caso ocorra algum acidente, a cirurgiã-dentista faz o alerta: “Em caso de fratura de algum dente ocasionada por um trauma, deve-se colocar o fragmento do dente ou o dente inteiro, em caso de traumas de avulsão, mergulhado em um pouco de leite e procurar um dentista imediatamente”.

Fonte: Ludimilla Abi-Saber Toledo, cirurgiã dentista, especialista em periodontia e capacitada em harmonização facial. É professora na pós-graduação em periodontia da Faculdade São Leopoldo Mandic e sócia da Clínica Vitácea, em Belo Horizonte.

Estresse ocasionado pela crise de Covid-19 pode aumentar casos de Bruxismo

Confira dicas para controlar o problema sem sair de casa

O bruxismo é uma desordem que atinge cerca de 30% da população mundial, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil o número é ainda maior: até 40% da população. O problema é caracterizado por uma movimentação excessiva e repetitiva dos músculos mastigatórios com apertamento e ranger de dentes enquanto a pessoa está acordada (bruxismo em vigília) ou dormindo (bruxismo do sono).

A cirurgiã dentista Renata Amorim explica que as causas do bruxismo em vigília ainda não são bem conhecidas, mas há uma ligação com a ansiedade e o estresse e, por isso, durante o período de pandemia da Covid-19, a tendência é que os casos em território nacional e no mundo aumentem. Já o bruxismo enquanto dorme pode estar relacionado aos distúrbios do sono e a privação do sono de qualidade, algo que pode levar também à ansiedade e estresse.

“Existe também o bruxismo decorrente de doenças que o paciente possui como, por exemplo, Parkinson, distúrbios psiquiátricos e psicológicos, apnéia do sono, uso de álcool, drogas e de alguns medicamentos”, completa a dentista.

Essa condição de apertar e ranger os dentes pode causar dano à saúde bucal e gerar outros efeitos como dor de cabeça e dores musculares. Renata indica que, em diversos casos, o paciente pode nem saber que possui o problema. “Muitas pessoas que sofrem com o bruxismo que se manifesta durante o sono só percebem quando são avisadas por terceiros ou quando já estão em um nível avançado da doença – apresentando sinais como alteração na forma dos dentes e dores de cabeça”, destaca.

Portanto, a principal recomendação é ficar atento aos mínimos sinais. “Dores na face, no ouvido, na cabeça e dentes desgastados podem ser os primeiros sintomas”, orienta.

Bruxismo no isolamento social

Ao ser acometido por qualquer sintoma do bruxismo, a principal recomendação é procurar um especialista para controlar o problema. Porém, em época de isolamento social, isso deve ser feito apenas em casos mais graves. Enquanto isso, procurar o contato com seu dentista é o caminho.”Existe a tendência de que nesse momento as pessoas sejam mais acometidas pelo bruxismo devido ao estresse e ansiedade que estamos vivendo de ficar em isolamento. Caso sinta algum sintoma, não hesite em ligar para o dentista para que ele possa avaliar seu caso e indicar como proceder”.

Renata também indica que é importante manter hábitos saudáveis, como uma boa alimentação e exercícios físicos, além de investir em momentos de lazer em casa. “Para evitar o bruxismo, a melhor opção é prevenir a saúde física e mental. Lembre-se de continuar fazendo o que gosta em casa, tente relaxar e faça exercícios regulares”, aconselha.

Fonte: Renata Amorim, cirurgiã-dentista, especialista em implantodontia e sócia da Clínica Vitácea Odontologia, em Belo Horizonte.

Qual a relação da saúde bucal com o combate à Covid-19?

Qual a relação da saúde bucal com o combate à Covid-19?

A boca exerce um papel fundamental para controlar e manter a saúde em todo o corpo, afirma especialista

A Covid-19 é a principal preocupação mundial da atualidade. As consequências do novo Coronavírus para a saúde podem ser graves dependendo das doenças preexistentes no organismo de cada indivíduo. Assim, os cuidados com o sistema imunológico são os mais recomendados. Além disso, cuidar da saúde geral do corpo é fundamental para evitar doenças que colocam o indivíduo no grupo de risco.

“A saúde bucal exerce um papel fundamental para controlar e manter a saúde em todo o corpo, já que esta é a porta de entrada para diversas bactérias e doenças relacionadas”, afirma a cirurgiã dentista Ludimilla Abi-Saber Toledo. Segundo ela, a má higienização bucal pode ser um dos principais vilões para a saúde. “Além dos problemas mais conhecidos, como o mau-hálito e a perda dos dentes, a falta de cuidados com a boca prejudica outros pontos fundamentais da saúde. As bactérias e fungos que causam as doenças bucais mais comuns entram na corrente sanguínea e se proliferam em outros locais, comprometendo todo o organismo”, explica.

Doenças preexistentes x Coronavírus

Um dos problemas mais comuns relacionados às bactérias e fungos da boca são as doenças cardiovasculares, um mal que está ligado ao grupo de risco da Covid-19. “As bactérias que proliferam pela falta de higiene adequada alcançam o coração e aderem ao órgão causando inflamações. Tais inflamações podem ser a causa de problemas mais graves como a endocardite, arteriosclerose, AVC e outros”, alerta Ludimilla.

Além do coração, a Diabetes também é um problema que pode ocorrer devido a falta de cuidados com a área bucal. “Além disso, pacientes que apresentam doenças periodontais ativas e precisarem ser entubados para o tratamento da Covid-19, correm maiores riscos de desenvolver a pneumonia aspirativa”, acrescenta.

Cuidados em casa

A especialista reforça que durante o período de isolamento social devem ser atendidos em consultórios odontológicos apenas casos de urgência e emergência para evitar a propagação do vírus. Portanto, os cuidados devem ser redobrados em casa. “Recomendamos que seja feita uma higienização bem feita após as refeições, com escova, pasta dental e fita dental. Não esqueça também de escovar a língua. Em alguns casos, é indicado o uso de escovas especiais, como os modelos interdentais e unitufo, indicados pelo seu dentista”, conclui.

Fonte: Ludimilla Abi-Saber Toledo, cirurgiã dentista, especialista em periodontia e capacitada em harmonização facial. É professora na pós-graduação em periodontia da Faculdade São Leopoldo Mandic e sócia da Clínica Vitácea, em Belo Horizonte.

Saúde bucal pode reduzir as chances de contágio do Coronavírus

Boa higiene é um dos principais responsáveis pela preservação do sistema imunológico

Nos últimos dias, o Coronavírus se tornou o assunto mais comentado mundialmente. Após o surto de contágio em diversos países do mundo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o problema como pandemia e, no Brasil, as pessoas ainda buscam mais informações e se preocupam com formas de prevenção, já que ainda não foi desenvolvida uma vacina. Neste cenário de insegurança, a saúde bucal é aliada para controlar o problema, pois ela é um dos principais responsáveis pela preservação do sistema imunológico.

A cirurgiã dentista e especialista em periodontia, Ludimilla Abi-Saber Toledo, explica que os problemas bucais podem contribuir para a redução da imunidade, pois na região existem milhares de bactérias que podem causar infecções e debilitar o sistema imune. “Algumas doenças bucais, como a gengivite e a periodontite, afetam diretamente o sistema imune do paciente, fazendo com que ele se torne mais suscetível ao contágio. Caso ele contraia a doença, a chance de mortalidade pode ser maior”, alerta.

Cuidados

A especialista esclarece que cuidar da saúde bucal deve ser um hábito constante para prevenir prevenir doenças gengivais e dentárias e, consequentemente, aumentar a imunidade. “Além disso, pacientes que possuem eficiência mastigatória trituram melhor os alimentos. Com isso, o organismo absorve melhor os nutrientes, melhorando a ingestão de vitaminas e sais minerais, tão importantes para o sistema imunológico”, explica.

Saúde Bucal x Coronavírus

De acordo com Ludimilla, um paciente que possui doenças bucais obtém um sistema imunológico mais debilitado, algo que favorece o aumento da mortalidade pelo vírus Covid-19 (Coronavírus). “O paciente deve cuidar bem da higienização, escovando os dentes e usando o fio dental de forma correta. Isso vai manter a cavidade bucal livre de placa bacteriana e diminuir a chance de instalação de doenças bucais ou o avanço delas, no caso de quem já esteja infectado”, orienta.

Recomendação

Neste momento, em que a epidemia cresce a cada dia no país, a especialista alerta sobre a importância de manter cuidados consigo mesmo e com quem está ao redor. “Procure um dentista para se certificar que sua saúde bucal está em dia e, caso necessite de um tratamento, faça-o o quanto antes para que você fortaleça seu sistema imune. É importante lembrar que o paciente que estiver com o coronavírus não deve ir ao dentista, os cuidados devem ser feitos em casa ou no hospital”, complementa.

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Ludimilla Abi-Saber Toledo, cirurgiã dentista, especialista em periodontia e capacitada em harmonização facial. É professora na pós-graduação em periodontia da Faculdade São Leopoldo Mandic e sócia da Clínica Vitácea, em Belo Horizonte.